Portal Jornal

Seu portal de notícias!
Irã afirma que ativista preso em greve de fome está ‘estável’
O Irã disse, nesta segunda-feira (14), que a saúde do dissidente Hossein Ronaghi está “estável”, apesar do fato de o ativista, que está em greve de fome, ter sido hospitalizado no domingo (13).

“O estado geral de saúde de Ronaghi é estável e em breve ele terá alta do hospital”, informou o site da autoridade judicial Mizan Online.

“A decisão de mandá-lo para o hospital fora da prisão no domingo foi tomada para evitar a deterioração de sua situação clínica e para que ele receba tratamento adicional”, afirmou o meio de comunicação.

As autoridades descartaram os relatos de que Ronaghi, de 37 anos, teria sido ferido antes de ser hospitalizado, ou de que seu coração teria parado, exigindo um procedimento de reanimação, quando foi internado.

Ronaghi é colaborador de vários veículos de comunicação estrangeiros, incluindo o Wall Street Journal.

Ele é um dos muitos ativistas de direitos humanos, jornalistas e advogados que foram detidos desde que o país se viu sacudido por uma onda de protestos.

Ele foi detido em 24 de setembro após criticar a violenta repressão aos protestos desencadeados inicialmente pela morte sob custódia, em 16 de setembro, de Mahsa Amini, uma curdo-iraniana de 22 anos.

A jovem tinha sido detida pela polícia da moralidade por uma suposta infração do rígido código de vestimenta da república islâmica.

Ronaghi, que sofre de problemas renais, iniciou sua greve de fome imediatamente após sua prisão. Sua família está preocupada e denunciou que suas pernas foram quebradas dentro da prisão.

Seu irmão, Hasan, escreveu no Twitter que seus pais o visitaram na tarde desta segunda-feira e que seu “estado geral é bom”.

Os Estados Unidos também manifestaram sua preocupação. O conselheiro de segurança nacional Jake Sullivan declarou que “a tortura e os maus-tratos de prisioneiros políticos como o Sr. Ronaghi devem parar”.

O diretor da ONG Iran Human Rights, Mahmood Amiry-Moghaddam, afirmou que o guia supremo, o aiatolá Ali Khamenei, e a liderança do Irã são responsáveis pelo destino de Ronaghi.

“A vida de Hossein Ronaghi está em grave perigo. Pedimos à comunidade internacional que faça tudo o que puder para salvar sua vida e a de outros detidos”, disse.

A decisão de mandá-lo para o hospital no domingo (13) foi tomada para evitar a deterioração de sua situação clínica e para tratamento adicional

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

Generated by Feedzy