Portal Jornal

Seu portal de notícias!
Dez trabalhadores ficam presos em mina de carvão no México e governo envia 200 socorristas para resgaste
Mais de duzentos soldados do Exército mexicano foram enviados para se juntar aos esforços de resgate de dez mineiros que ainda estão presos, após um colapso dentro de uma mina de carvão no nordeste do país,  desde quarta-feira, 3, informou o governo do México nesta quinta-feira, 4.
As autoridades informaram que o motivo do colapso da mina foi a inundação de três poços, localizados no município de Sabinas, no estado de Coahuila, que gerou o amolecimento das paredes internas, fazendo com que os trabalhadores ficassem presos.
“Existem 230 elementos do Plano DN-III” de ajuda às forças armadas no local do incidente, informou Agustín Radilla, subsecretário do Ministério da Defesa, na conferência matinal do presidente Andrés Manuel López Obrador.
O acidente aconteceu às 13h35 (15h35, no horário de Brasília) de quarta-feira. Após o colapso, cinco mineiros conseguiram sair. O governo informou que três estão hospitalizados. 
A mina fica localizada a cerca de 300 quilômetros ao norte da capital do estado, Saltillo, e aproximadamente 120 quilômetros da fronteira com os Estados Unidos. Sabinas é conhecida por suas minas de carvão.
No Twitter, a Coordenação Nacional de Proteção Civil do Governo do México disse que o presidente Andrés Manuel López Obrador instruiu a chefe do órgão, Laura Velázquez Alzú,  a viajar até a área e coordenar as ações de resgate.
López Obrador disse no Twitter que há “92 elementos do Ministério da Defesa Nacional com especialistas e quatro pares de cães” no local do desabamento.

De último momento, me informa el subsecretario de la Defensa Nacional, general Agustín Radilla, que ya se aplica el plan DN-III y están en el lugar 92 elementos de la Secretaría de la Defensa Nacional con especialistas y cuatro binomios caninos.

— Andrés Manuel (@lopezobrador_) August 3, 2022

Mineiros teriam encontrado túnel abandonado; água acumulada em poços inundou o local onde estão as vítimas

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

Generated by Feedzy